segunda-feira, 11 de abril de 2011

A quaresma: ontem e hoje


"Hoje em dia há quem diga que tanto o período quaresmal como a Semana Santa perderam muito até mesmo do seu simbolismo e da adesão das pessoas devido às transformações que sofreram de um passado recente para os dias atuais. Eu não penso assim nem acho que está havendo um espírito de modernidade a permear essas mudanças. É bem verdade que o modo como muitas pessoas vivem hoje a quaresma e a Semana Santa é uma maneira completamente diferente do passado. Em primeiro lugar há que se considerar o contexto cultural que hoje em dia é bem diverso daquele que tínhamos há um século ou em décadas passadas. E também é verdade que a própria Igreja promoveu transformações significativas na maneira de celebrar e viver a quaresma e os atos da semana maior. Mas, isso tudo não significa perda ou enfraquecimento do espírito quaresmal. Ao contrário, busca-se sempre mais a fidelidade às raízes bíblicas do espírito quaresmal. Portanto, não é justo afirmar que ninguém vive mais o tempo da quaresma. Há muita gente que vive de modo consciente e zeloso o tempo quaresmal, principalmente, em função da formação religiosa recebida em casa, na escola ou na comunidade. Além disso, no cenário cultural e religioso brasileiros perduram tradições de piedade popular ligadas à quaresma, ricas de beleza e significado que merecem ser devidamente valorizadas. Que a quaresma seja então a oportunidade de se reviver a experiência da fé e do encontro com Deus, para reconciliar e unir as pessoas na liturgia e na vida.” (Dom Sérgio da Rocha - arcebispo de Teresina - Piauí).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitantes

Contador de acesso