domingo, 10 de abril de 2011

CASAR NA IGREJA


Enquanto religiosos do País se preocupam com a imagem do ritual do casamento, desencadeada por uma polêmica cerimônia ao estilo da série Shrek realizada em Garibaldi, na Serra Gaúcha, a questão em Santa Cruz gira não em torno do tema, mas do local apropriado para ocorrer a bênção.

Uma resolução da Igreja Católica orienta que casamentos sejam celebrados em locais adequados. Nesse caso, a muitas vezes tão sonhada cerimônia de novela, com celebrações ao ar livre, não está mais sendo permitida pela Diocese de Santa Cruz – que abrange diversos municípios da região – e estaria, inclusive, motivando casais a optarem pela troca de crença.

O casal Camila Oliveira Hammes, 29 anos, e Rafael Trabulfe Vianna, 31, é um exemplo. Ainda em agosto de 2009, após o noivado, eles decidiram que queriam um casamento ao ar livre. Católicos, os dois começaram a ter problemas desde o final de 2010, quando entregaram a documentação exigida pela igreja para a celebração.

Sob o argumento de que uma cerimônia ao ar livre não era mais permitida, Camila foi orientada a fazer uma solicitação oficial de casamento externo. Com a orientação de uma advogada, o casal expôs seus motivos, entre eles o fato de que muitos convidados eram pessoas idosas, de outras cidades, que já estariam hospedadas próximo ao local do casamento justamente para evitarem o deslocamento.

Porém, mesmo com várias explicações na tentativa de esclarecer a escolha, as alegações não foram aceitas. “Estava com tudo encaminhado, a data definida desde a metade do ano passado, convite na gráfica, só esperando pela Igreja, quando o padre me ligou e disse que o pedido havia sido negado”, conta.

A negativa abalou o casal e seus familiares. “A reação da família foi péssima. Ninguém é devoto de ir na missa todos os finais de semana, mas seguiam a religião e ficaram muito chateados”, lembra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitantes

Contador de acesso