terça-feira, 1 de março de 2011

Praticar uma espiritualidade ajuda no tratamento de doenças


Quando se descobre uma doença, qual a primeira atitude a tomar? Certamente, procurar um posto de saúde, hospital, médico e, se for o caso, dar início a um longo período de tratamento.

Mas somente a ajuda médica e científica contribui para um eficaz tratamento?

O médico neurologista, Dr. José Augusto Nasser, afirma que, ao viver uma espiritualidade, o paciente pode encarar o momento da doença de forma “mais paciente” e não vê-la como uma “grande inimiga”. Ou seja, o paciente que tem uma experiência de fé apresenta uma motivação maior de viver e lidar com os problemas.

E muitos estudos são desenvolvidos na área. De acordo com o Núcleo de Estudos sobre a Religiosidade-Espiritualidade em Saúde (NERES), do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE), desde os anos 80, pesquisas analisam a importância e os benefícios da fé no tratamento de doenças.

Um exemplo apontado pelo NERES é o estudo divulgado pelo periódico da Associação Paulista de Medicina, em 2004, no qual se concluiu que a prática de rezar tem íntima relação com a melhora de pacientes com câncer.

De acordo com o coordenador do NERES, Dr. Marcelo Saad, a espiritualidade pode contribuir com efeitos positivos na imunidade do corpo e garantir o equilíbrio neurofisiológico e dos hormônios.

“Se o sistema neurológico está equilibrado, o estado psicológico fica propenso a trazer a sensação de esperança, de perdão, de amor e de altruísmo (...). A fé é ainda capaz de mobilizar a endorfina, o hormônio do bem-estar”, explica.

Dr. Nasser afirma ainda que muitas enfermidades podem ser causadas por doenças emocionais e, por isso, se faz necessário recorrer a outras áreas da ciência para realizar um eficaz diagnóstico. “Eu sempre procuro ver a raiz do problema. E lanço mão também da psicologia, da saúde mental, pois muitas das nossas doenças têm origem nas nossas machucaduras, traumas, dentro das experiências da nossa vida”, esclarece.

A missionária da Comunidade Aliança de Misericórdia, Rosa Maria de Brito Amaro, que oferece suporte espiritual a pacientes em tratamento, afirma que as pessoas precisam entender que existem doenças psicossomáticas confirmadas pela ciência e que necessitam também de ajuda espiritual. “Precisamos trabalhar em conjunto. Temos até dois psicólogos na comunidade, que encaminham as pessoas para rezarmos”, ressalta.

FONTE: SITE DA CANÇÃO NOVA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitantes

Contador de acesso