quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Quaresma: tempo para redescobrir valor do Batismo


CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 22 de fevereiro de 2011 - A Quaresma é uma oportunidade única para redescobrir o sentido e o valor do Batismo, segundo recordou o Papa Bento XVI em sua Mensagem para a Quaresma de 2011, divulgada hoje pela Santa Sé.

No texto, com o tema "Sepultados com Ele no batismo, foi também com Ele que ressuscitastes" (Col 2,12), o Pontífice nos convida a viver a Quaresma como um "caminho de purificação no espírito, para haurir com mais abundância do Mistério da redenção a vida nova em Cristo Senhor".

"Esta mesma vida já nos foi transmitida no dia do nosso Batismo", observou, destacando que o fato de que, na maior parte dos casos, este sacramento seja recebido por crianças "põe em evidência que se trata de um dom de Deus: ninguém merece a vida eterna com as próprias forças".

"A misericórdia de Deus, que lava do pecado e permite viver na própria existência os mesmos sentimentos de Jesus Cristo, é comunicada gratuitamente ao homem."

O Pontífice explicou que um nexo particular vincula o Batismo à Quaresma, "como momento favorável para experimentar a Graça que salva".

Neste sacramento, de fato, "realiza-se aquele grande mistério pelo qual o homem morre para o pecado, é tornado partícipe da vida nova em Cristo Ressuscitado e recebe o mesmo Espírito de Deus que ressuscitou Jesus dos mortos".

"Este dom gratuito deve ser reavivado sempre em cada um de nós e a Quaresma oferece-nos um percurso análogo ao catecumenato, que para os cristãos da Igreja antiga, assim como também para os catecúmenos de hoje, é uma escola insubstituível de fé e de vida cristã."

Caminho de virtude
"O nosso imergir-nos na morte e ressurreição de Cristo através do Sacramento do Batismo, estimula-nos todos os dias a libertar o nosso coração das coisas materiais, de um vínculo egoísta com a ‘terra', que nos empobrece e nos impede de estar disponíveis e abertos a Deus e ao próximo."

Através da práctica tradicional do jejum, da esmola e da oração, "expressões do empenho de conversão", a Quaresma nos ensina "a viver de modo cada vez mais radical o amor de Cristo".

O jejum tem, para o cristão, "um significado profundamente religioso: tornando mais pobre a nossa mesa aprendemos a superar o egoísmo para viver na lógica da doação e do amor; suportando as privações de algumas coisas - e não só do supérfluo - aprendemos a desviar o olhar do nosso ‘eu', para descobrir Alguém ao nosso lado e reconhecer Deus nos rostos de tantos irmãos nossos".

"Para o cristão o jejum nada tem de intimista, mas abre em maior medida para Deus e para as necessidades dos homens, e faz com que o amor a Deus seja também amor ao próximo."

Da mesma maneira, aprende-se a resistir "perante a tentação do ter, da avidez do dinheiro, que insidia a primazia de Deus na nossa vida".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitantes

Contador de acesso