quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

CONFRATERNIZAÇÃO DA PASTORAL DA CRIANÇA

È com muita alegria que a Pastoral da Criança, celebrou neste domingo 26 de Dezembro, na casa de cultura popular em Umarizal. Contou com a presença de todos os membros da Pastoral e convidados, da presença agradável da dupla Dorginaldo e Elieuda cantando uma música agradável aos ouvidos.
CONFIRA AGORA AS FOTOS DA CONFRATERNIZAÇÃO











segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

A estrutura da Missa no rito romano


Teologicamente, a essência da Missa é a Consagração, o sacrifício de Cristo oferecido na Cruz e tornado real e novamente presente sobre o altar mediante a conversão do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Senhor. À Consagração se unem sua preparação – o Ofertório – e sua consumação – a Comunhão. Desse modo, podemos dizer que essas três cerimônias são o centro e ápice da Missa, e isso em qualquer rito litúrgico.


Cada um desses ritos tem a sua particularidade na combinação dos elementos que antecedem à Consagração e que a seguem, e mesmo sua diferença quanto ao que se deve dizer, como se deve dizer, o que vestir, o que fazer, quem deve fazer e assim por diante.


No rito romano – e aqui falamos da sua estrutura básica que, vindo desde os tempos de São Gregório, foi sistematizada por São Pio V e permanece, sim, na reforma de Paulo VI e João Paulo II (com certa perda de alguns elementos, o que lamentamos, é preciso dizer) –, a Missa consta de vários textos e cerimônias: orações, antífonas, hinos, momentos de silêncio, cânticos, procissões, gestos, monições, responsórios, leituras bíblicas. Alguns dos textos se dizem em voz alta, outros em voz submissa. Uns constituem o rito ou cerimônia por si mesmo (como o Agnus Dei, o Kyrie etc), enquanto outros se destinam a acompanhar o rito (como os cantos de Entrada e de Comunhão).


FONTE:http://www.salvemaliturgia.com/2009/07/estrutura-da-missa-no-rito-romano.html

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O Sacramento da Unção dos Enfermos


A Unção dos Enfermos é a cura. A doença nos mostra que somos limitados. A doença é também sinal de nossa falta de fraternidade, de nosso pecado. Deus cura a doença e a raiz da doença. Deus está presente em nosso esforço de arrancar o mal pela raiz. É o que celebramos na Unção dos Enfermos.

Pela sagrada Unção dos Enfermos e pela oração dos presbítero, a Igreja toda entrega os doentes aos cuidados do Senhor sofredor e glorificado, para que os alivie e salve. Exorta os mesmos a que livremente se associem à paixão e à morte de Cristo e contribuam para o bem do povo de Deus.

Não podemos rotular o Sacramento da Unção dos Enfermos como sinal de morte próxima, mas sim um Sacramento que podemos receber mais de uma vez quando passamos por doenças graves que necessitam de cuidados. Costuma-se na celebração o padre dar ao doente o Sacramento da Confissão, com o propósito do doente também arrepender-se de seus pecados.

Antigamente, o Sacramento da Unção dos Enfermos era chamado Sacramento da extrema-unção dos Enfermos, foi trocado o nome pois muitos vinham a caracterizá-lo como o "sacramento da morte", não sendo bem assim. Inúmeros são aqueles que já receberam o Sacramento da Unção dos Enfermos mais de duas vezes e estão vivos até hoje.

Um importante requisito para a realização do Sacramento é a vontade do doente querer recebê-lo, ou seja, não adianta a família querer impor algo que o próprio doente não deseja (isso não vale só para esse Sacramento, mas sim para todos os outros). A família pode aconselhá-lo, chamar o padre à casa do doente, mas não impor o Sacramento sem a vontade e a consciência do doente. Se o doente querer e tiver a consciência da importância do Sacramento, aí sim, o Sacramento terá muitos frutos e graças.

A Unção dos Enfermos é a cura. A doença nos mostra que somos limitados. A doença é também sinal de nossa falta de fraternidade, de nosso pecado. Deus cura a doença e a raiz da doença. Deus está presente em nosso esforço de arrancar o mal pela raiz. É o que celebramos na Unção dos Enfermos. A Unção dos Enfermos é o sacramento da salvação total, do corpo e do espírito ao mesmo tempo. É o sacramento da esperança, porque ajuda o doente a entregar-se confiante nas mãos de DEUS.

Jesus sempre teve um grande carinho pelos doentes. Quando os judeus os desprezavam, porque consideravam a doença um castigo de DEUS, Ele acolhia com amor e os curava.

"E passando Jesus, viu um cego de nascença. Os seus discípulos perguntaram-lhe: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: nem ele nem seus pais, mas foi para se manifestarem nele as obras de DEUS." (cf. Jo 9, 1-3). Jesus quis que aqueles que o acompanhavam continuassem sua missão, por isso deu a seus discípulos o dom da cura. "Então os discípulos partiram e pregaram para que as pessoas se convertessem. Expulsavam muitos demônios e curavam muitos doentes, ungido-os com óleo" (cf. Mc 6, 12s).

O Senhor ressuscita renova este envio e confirma, através de sinais realizados pela Igreja ao invocar seu nome:
"Quando colocarem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados" (cf. Mt 16, 18).

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

PEDIDO DE PERDÃO

NUNCA MAIS TINHA POSTADO ALGO, NEM SEQUER AS FOTOS DA FESTA DE SANTA LUZIA, DEVIDO ESTAR COM A AGENDA SUPER LOTADA, PRIMEIRO NA ORGANIZAÇÃO DA FESTA DE SANTA LUZIA, E DEPOIS O VESTIBULAR, MAS AGORA VOU VOLTAR COM MUITA GARRA NA EVANGELIZAÇÃO, TRAZENDO A MENSAGEM DE DEUS COM MUITO AMOR E ALEGRIA.

Qual a Igreja você pertence ?


Para começo da nossa conversa de hoje, vamos refletir sobre este texto de Wilson João.
O mal de muitas pessoas é não ter a consciência de pertença. Quem não tem essa consciência vive ao léu. Não sabe porque vive. Sente-se inútil. Sente-se órfão, e pior, tem a sensação de que foi atirado neste mundo. Muitos andam perdidos, sem destino, sem ligação, e por isso mesmo, sem nenhum motivo para viver, a não ser o de comer, dormir e satisfazer as necessidades básicas.
Quem fala assim: “Isso não é meu...” ou “Isso não é comigo...” ou “Nada tenho a ver com isso...”, é porque não tem o sentido de pertença. De fato ninguém luta por aquilo que não é seu. Quem não tem o sentido de pertença é uma pessoa que vive numa comunidade, mas não se sente comunidade. Está numa família, mas a família nada diz para ela. É associada a uma organização, mas nunca luta por ela. É batizada numa Igreja, mas a Igreja está longe dela. Faz parte de uma cidade, mas a cidade nada tem a ver com ela. E assim podemos continuar colocando situações de pessoas “por fora”. Pessoas sem ligação.
Pertencer é sentir-se ligado. É o critério seguro. Sentir-se ligado é a alegria de poder dizer: “eu sou família...”, “eu sou Igreja...”, “eu sou o sindicato...”, “eu sou a sociedade...”, “eu sou Brasil” “eu sou humanidade”. Quando a gente se sente ligado, veste a camiseta, luta por renovação, quer mudança e progresso. Ter o sentido de pertença é estar por dentro, é ver por dentro e colocar-se a serviço. É ser jogador, ator e participante. Estar em campo e jogar é uma coisa. Estar nas arquibancadas e simplesmente ver e torcer, é outra coisa. Ser ator no palco da vida, da família, da sociedade, da Igreja, da organização, é uma coisa. Ser alguém que apenas olha, apóia ou critica, é outra coisa.
Pertencer é fazer história. É bonito dizer: “eu sou...”, “eu faço...”, “isso é comigo.” Pertencer é deixar a própria marca. É deixar naquilo que se faz e nas organizações a que se pertence a própria voz, força, olhar, sentimentos, vida e emoções. É fazer história. É dizer a si mesmo: “por aqui passei, vivi, trabalhei, suei, dei minha vida”. A verdade é que somente se dá a vida, somente se dedica tempo e qualidades naquilo em que cremos que é nosso, que nos pertence ou pertencemos a ele. Até da vida se pode estar por fora. Quando não se cuida ou zela pela vida que se tem, é sinal ou se tem a sensação de que ela não está dentro de nós. Viver é pertencer. Pertencer é a razão da luta.

Para continuar a reflexão: A PERTENÇA do indivíduo à Igreja se dá através da sua FREQÜÊNCIA na Igreja e da sua AÇÃO na Igreja.

Quanto à FREQÜÊNCIA, você pode se perguntar: “Que tipo de Católico sou eu?”

“Católico IBGE”: Só se descobre que ele é católico em questionário;
“Católico INSS”: Igreja para ele é só para idosos e aposentados;
“Católico SOCIALITE”: Sempre (e somente!!) está presente em batizados, casamentos, missas de Páscoa e Natal e de 7º dia;
“Católico DOENTE”: Para ele, ir a Igreja é como ir ao médico: só se vai quando não tem mais jeito;
“Católico AUTÔNOMO”: Diz que é católico mas que não precisa ir a Igreja, pois "Deus está em todos os lugares"; ele “reza em casa”
“Católico EUCARÍSTICO”: Chega nas Missas depois das preces e sai depois da Comunhão;
“Católico "FANTÁSTICO": Só se vê aos domingos;
“Católico DORIL”: Aquele que quando pinta um problema, some;
“Católico POLÍTICO DEMAGOGO”: Só aparece de quatro em quatro anos, cheio de boas intenções, geralmente para pedir alguma coisa, faz promessas e depois desaparece.

"O SEMEADOR" se propõe a missão de transformar o Católico das categorias anteriores em:
“Católico CONSCIENTE” que é aquele que participa ativamente em sua Paróquia, conhece verdadeiramente a sua Religião, a sua Igreja e a sua Fé. Exatamente por isso é capaz de amá-las e vivê-las plenamente.

Mais perguntas para se questionar:

Em qual dos 3 estágios descritos a seguir se encaixa minha situação de pertença?
 EU SOU UM FREGUÊS DA IGREJA? EU SÓ VOU À IGREJA QUANDO PRECISAR DELA... BATISMO, CASAMENTO MISSA DE 7º DIA... ESSA É A FASE: “EU PRECISO DA IGREJA”
 EU SOU UM SIMPATIZANTE? GOSTO DA MINHA IGREJA, COMO DO TIME DE FUTEBOL. ADMIRO, FICO TORCENDO... MAS NÃO ENTRO EM CAMPO... ESSA É A FASE: “MINHA IGREJA É A MELHOR!”
 EU SOU SÓCIO? A IGREJA É MINHA FAMÍLIA? COMPARTILHO A SORTE DELA, AO INVÉS DE FICAR SÓ CRITICANDO, LUTO PARA QUE ELA SEJA MELHOR – TRABALHO NELA... ESSA É A FASE: “EU SOU IGREJÁ!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Conheça a história da santa protetora dos olhos


Santa Luzia (ou Santa Lúcia), cujo nome deriva do latim, é muito amada e invocada como a protetora dos olhos, janela da alma, canal de luz.

Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, ao ponto de Luzia ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe queria vê-la casada com um jovem de distinta família, porém pagão. Ao pedir um tempo para o discernimento foi para uma romaria ao túmulo da mártir Santa Ágeda, de onde voltou com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimento por que passaria, como Santa Ágeda.

Vendeu tudo, deu aos pobres e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Santa Luzia, não querendo oferecer sacrifício ao deuses e nem quebrar o seu santo voto, teve que enfrentar as autoridades perseguidoras e até a decapitação em 303, para assim testemunhar com a vida, ou morte o que disse: "Adoro a um só Deus verdadeiro, e a ele prometi amor e fidelidade".

Somente em 1894 o martírio da jovem Luzia, também chamada Lúcia, foi devidamente confirmado, quando se descobriu uma inscrição escrita em grego antigo sobre o seu sepulcro, em Siracusa, Ilha da Sicília. A inscrição trazia o nome da mártir e confirmava a tradição oral cristã sobre sua morte no início do século IV.

Mas a devoção à santa, cujo próprio nome está ligado à visão ("Luzia" deriva de "luz"), já era exaltada desde o século V. Além disso, o papa Gregório Magno, passado mais um século, a incluiu com todo respeito para ser citada no cânone da missa. Os milagres atribuídos à sua intercessão a transformaram numa das santas auxiliadoras da população, que a invocam, principalmente, nas orações para obter cura nas doenças dos olhos ou da cegueira.

Diz a antiga tradição oral que essa proteção, pedida a santa Luzia, se deve ao fato de que ela teria arrancado os próprios olhos, entregando-os ao carrasco, preferindo isso a renegar a fé em Cristo. A arte perpetuou seu ato extremo de fidelidade cristã através da pintura e da literatura. Foi enaltecida pelo magnífico escritor Dante Alighieri, na obra "A Divina Comédia", que atribuiu a santa Luzia a função da graça iluminadora. Assim, essa tradição se espalhou através dos séculos, ganhando o mundo inteiro, permanecendo até hoje.

Luzia pertencia a uma rica família de Siracusa. Sua mãe, Eutíquia, ao ficar viúva, prometeu dar a filha como esposa a um jovem da Corte local. Mas a moça havia feito voto de virgindade eterna e pediu que o matrimônio fosse adiado. Isso aconteceu porque uma terrível doença acometeu sua mãe. Luzia, então, conseguiu convencer Eutíquia a segui-la em peregrinação até o túmulo de santa Águeda ou Ágata. A mulher voltou curada da viagem e permitiu que a filha mantivesse sua castidade. Além disso, também consentiu que dividisse seu dote milionário com os pobres, como era seu desejo.

Entretanto quem não se conformou foi o ex-noivo. Cancelado o casamento, foi denunciar Luzia como cristã ao governador romano. Era o período da perseguição religiosa imposta pelo cruel imperador Diocleciano; assim, a jovem foi levada a julgamento. Como dava extrema importância à virgindade, o governante mandou que a carregassem à força a um prostíbulo, para servir à prostituição. Conta a tradição que, embora Luzia não movesse um dedo, nem dez homens juntos conseguiram levantá-la do chão. Foi, então, condenada a morrer ali mesmo. Os carrascos jogaram sobre seu corpo resina e azeite ferventes, mas ela continuava viva. Somente um golpe de espada em sua garganta conseguiu tirar-lhe a vida. Era o ano 304.

Para proteger as relíquias de santa Luzia dos invasores árabes muçulmanos, em 1039, um general bizantino as enviou para Constantinopla, atual território da Turquia. Elas voltaram ao Ocidente por obra de um rico veneziano, seu devoto, que pagou aos soldados da cruzada de 1204 para trazerem sua urna funerária. Santa Luzia é celebrada no dia 13 de dezembro e seu corpo está guardado na Catedral de Veneza, embora algumas pequenas relíquias tenham seguido para a igreja de Siracusa, que a venera no mês de maio também.

PROGRAMAÇÃO DA FESTA DE SANTA LUZIA 2010 EM UMARIZAL




PROGRAMAÇÃO



Dia 10/12/10-Sexta-feira NOITE DAS COMUNIDADES

19h:
Recepção da imagem de Santa Luzia na capela
19:10h: Missa de abertura da festa em frente a capela Asteamento das Bandeiras
Tema: Santa Luzia, luz que ilumina a igreja e os evangelizadores.
Pregador: Com. Obra de Maria
Atração
: Seresta
Promoção: Jantar Comunitário
Responsáveis
: Comunidades Rurais e Urbanas, Com. Obra de Maria, e Pastoral da Pessoa Idosa, comunidade São Francisco e Santo Antonio dos Pobres Garota: Anne Layane Medeiros de Souza

Dia 11/12/10-Sábado
NOITE DA JUVENTUDE

19h
: Novena
Tema: Santa Luzia, luz que ilumina os jovens e as crianças.
Pregador: Godeiro
Atração: Surpresa
Promoção: Jantar comunitário
Noiteiros: Juventude, IAM, Catequese, Coroinhas e RCC, Terço dos Homens Garota: Ingride Emanuele Rego de Alencar

Dia 12/12/10-Domingo
NOITE DAS FAMÍLIAS

10:00h Batizados na Capela

19h:
Missa
Tema: Santa Luzia, luz que ilumina as famílias.
Pregador: Alexandre
Atração
: Leilão festivo
Promoção
: Jantar Comunitário
Noiteiros: ECC, Pastoral da Família, Apostolado da Oração, Vaqueiros, e Grupo do Oficio da Capela e Grupo Mãe Rainha. Garota: Laura Vitória de Paiva Abrante

Dia 13/12/10-Segunda-feira
ENCERRAMENTO: DIA DE SANTA LUZIA

17h:
Procissão
18h:
Missa de encerramento. Arreamento das bandeiras
Jantar Comunitário: Galinha caipira e arroz de festa. Organização Juarez e equipe. Promoção: Bingo de um Carneiro Doação de Wilton Florêncio
Obs: Todas as noites haverá barraca em frente à capela
Que a Virgem da luz ilumine a todos. Cobertura: Blog:


FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONÇEIÇÃO EM UMARIZAL


Caríssimo Devoto de Nossa Senhora da Conceição, é com imensa alegria que convidamos você e sua família para participar da Festa de Nossa Padroeira neste ano de 2010.

Vamos refletir sobre o tema: “Em Maria a palavra de Deus se fez carne e habitou entre nós”.

Uma boa festa para todos!

Pe. João batista e Coordenação da Festa.

PROGRAMAÇÃO RELIGIOSA E SÓCIO – CULTURAL

Dia 16/12/10 - (Quinta-Feira) – ABERTURA DA FESTA.

NOITE DAS COMUNIDADES E ESCOLA MUNICIPAL PE. JOSÉ SAUER E PASTORAL DA CRIANÇA.

  • TEMA: Chamados a testemunhar nossa fé (MT 7,21)
  • PREGADOR: Pe. João Batista

Hasteamento das Bandeiras

  • ATRAÇÃO: Seresta com Alexsandro Bandeira.
  • PROMOÇÃO: Jantar Comunitário
  • GAROTA DA NOITE: Maria Eduarda e Estefany

Dia 17/12/10 - (SEXTA-FEIRA) – NOITE DA JUVENTUDE, FEMÍLIAS E RENOVAÇÃO CARISMÁTICA.

  • 6:00h – Ofício de Nossa Senhora da Conceição.
  • 19:00h – Celebração do Tríduo.
  • TEMA: Acreditem, o Reino de Deus está próximo. (MT 10,7)
  • PREGADOR: Oração Carismática.
  • ATRAÇÃO: Bingo de 01 Pingente de Ouro e Seresta Dançante.
  • PROMOÇÃO: Jantar Comunitário.
  • GAROTA DA NOITE: Roquelita e Aynne Vitória

Dia 18/12/10 - (SÁBADO) – NOITE DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO E VAQUEIROS.

  • 6:00h – Ofício de Nossa Senhora da Conceição.
  • 19:00h – Celebração do Tríduo.
  • TEMA: Alegra-te cheia de graça, o Senhor está contigo (LC 1,28)
  • PREGADOR: Obra de Maria
  • PROMOÇÃO: Leilão Festivo e Jantar Comunitário.
  • GAROTA DA NOITE: Antônia Lorena e Vitória Pascoly

Dia 19/12/10 - (DOMINGO) – ENCERRAMENTO DA FESTA

  • 9:00h – Batizados
  • 17:00h – Procissão e Missa
  • Arreamento das Bandeiras
  • PROMOÇÃO: Jantar Comunitário e Bingo de 01 Ventilador.

OBS.:

Todas as noites haverá o funcionamento das barracas.

Agradecemos a participação de todos!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

SANTA LUZIA EM SEU LAR

Em Umarizal, a fé em Santa Luzia, leva as pessoas a acolher com muita alegria, a imagem de Santa Luzia peregrina, nas suas casas com muita alegria e devoção. E em preparação a festa de 2010 na capela, as comunidades Santa Luzia e Lalins celebram esse fato com muita oração. É muito bonito ver as crianças os jovens e adultos rezarem a virgem da luz essa oração.

Ó Santa Luzia, que preferistes que vossos olhos fossem vazados e arrancados antes de renegar a sua fé e compuscar vossa alma; e Deus com um milagre extraordinário, vos devolveu dois olhos perfeitos para recompensar vossa virtude e vossa fé, e vos constituiu protetora contra as doenças dos olhos. Eu recorro a vós para que protejais minhas vistas e cureis a doença de meus olhos. Ó Santa Luzia conservai a luz dos meus olhos para que possa ver as belezas da criação o brilho do sol, o colorido das florestas e o sorrido das crianças. Conservai também os olhos de minha alma, a fé , pela qual eu possa compreender seus ensinamentos, reconhecer o seu amor para comigo e nunca errar o caminho que me conduzirá onde vós Santa Luzia, vos encontrais , em companhia dos Anjos e Santos. Santa Luzia, protegei meus olhos e conservai minha fé. Amem (3x)
Confira agora,a fotos da peregrinação de Santa Luzia nos lares das famílias umarizalenses.
















SACRAMENTOS: A PENITÊNCIA


A Penitência é a volta. Quase todo dia a gente cai e se levanta. Pequenas quedas e grandes tombos. Ninguém quer ficar no chão. A gente pisa em falso porque não enxerga bem os passos e o caminho de Jesus. Erramos de caminho. Atrapalhamos a caminhada uns dos outros. Deus sempre dá a mão para a gente se deixar reconduzir. No sacramento da Penitência celebramos a coragem de pegar de novo na mão de Deus e voltar a andar no caminho dele, que é o caminho da irmandade.

Aqueles que se aproximam do sacramento da Penitência obtêm da misericórdia divina o perdão da ofensa feita a Deus e ao mesmo tempo são reconciliados com a Igreja que feriram pecando, e a qual colabora para sua conversão com caridade, exemplo e orações. A confissão consiste em um sacramento instituído por Jesus Cristo no qual o sacerdote perdoa os pecados cometidos depois do batismo. Sobre o sacramento da Confissão, devemos analisar o seguinte:

Os homens pecam.


Diz a Sagrada Escritura: "O justo cai sete vezes por dia" (Prov 24, 16). E se o próprio justo cai sete vezes, que será do pobre que não é justo?

"Não há homem que não peque" (Ecl 7, 21).

"Aquele que diz que não tem pecado faz Deus mentiroso" (1 Jo 1, 10).

O "Livre Arbítrio" humano permite ao homem realizar atos contrários ao seu criador.

É necessário obter o perdão desses pecados.

"Nesta porta do Senhor, só o justo pode entrar" (Sl 117, 20).

"Não sabeis que os pecadores não possuirão o reino de Deus?" (1 Cor 6, 9).

Portanto, para entrar no Reino de Deus, é necessário obter o perdão dos pecados.



Nosso Senhor instituiu um sacramento.

Qual é o meio que existe para alcançar o perdão dos pecados? Nos diz São João: "Se confessarmos os nossos pecados, diz o Apóstolos, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e purificar-nos de toda injustiça" (1 Jo 1, 8).

Todavia, "aquele que esconde os seus crimes não será purificado; aquele, ao contrário, que se confessar e deixar seus crimes, alcançará a misericórdia" (Prov. 38, 13). "Não vos demoreis no erro dos ímpios, mas confessai-vos antes de morrer" (Ecl 17, 26).

A confissão não é nova, já existia no Antigo Testamento, mas foi elevada à dignidade de Sacramento por Nosso Senhor, que conhecia a fraqueza humana e desejava salvar seus filhos.

No dia da ressurreição, como para significar que a confissão é uma espécie de ressurreição espiritual do pecador, "apareceu no meio dos apóstolos... e, mostrando-lhes as mãos e seu lado... lhes disse: A paz esteja convosco. Assim como meu Pai me enviou, eu vos envio a vós. ...soprando sobre eles: recebei o Espírito Santo... Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos" (Jo 21, 21-23). O mesmo texto encontra-se em S. Mateus (Mt 28, 20).

Como tudo é claro! Nosso Senhor tinha o poder de perdoar os pecados, como se desprende de S. Mateus (Mt 9, 2-7). Ele transmite esse poder aos seus Apóstolos dizendo: "assim como o Pai me enviou", isto é, com o poder de perdoar os pecados, "assim eu vos envio a vós", ou seja, dotados do mesmo poder. E para dissipar qualquer dúvida, continua: "soprando sobre eles: Recebei o Espírito Santo..." como se dissesse: Recebei um poder divino... só Deus pode perdoar pecados: pois bem... "Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos" (Jo 21, 21-23).

A conclusão é rigorosa: Cristo podia perdoar os pecados. Ele comunicou este poder aos Apóstolos e por eles aos sucessores dos Apóstolos: pois a Igreja é uma sociedade "que deve durar até o fim do mundo" (Mt 28, 20).

O livro dos Atos dos Apóstolos refere que quem se convertia "vinha fazer a confissão das suas culpas" (At 19, 18). Aqui nós começamos a refutar uma argumentação dos protestantes: cada um se confessa diretamente com Deus.


A confissão deve ser feita a um padre.

Pelo próprio livro dos Atos dos Apóstolos, quando se afirma que o convertido "vinha fazer a confissão", fica claro que era necessário um deslocamento da pessoa para realizar a confissão junto aos Apóstolos, pois o verbo "vir" é usado por quem recebe a visita do penitente. Se a confissão fosse direta com Deus, bastaria pedir perdão de seus pecados, sem precisar 'ir' até a Igreja.

Aliás, S. Tiago é explícito a esse respeito: "confessai os vossos pecados uns aos outros, diz ele, e orai uns pelos outros, a fim de que sejais salvos" (Tgo 5, 16). Isto é, confessai vossos pecados a um homem, que tenha recebido o poder de perdoá-los. De qualquer forma, a instituição do Sacramento deixa claro o poder que Nosso Senhor conferiu à sua Igreja.

Sem a vontade de se confessar com um outro homem, o pecador demonstra que seu arrependimento não é profundo, pois ele não se envergonha mais de ofender a Deus do que de expor sua honra. No fundo, ama a si mesmo mais do que a Deus e pode estar cometer um outro pecado, ainda mais grave, contra o primeiro mandamento: Amar a Deus sobre todas as coisas.

Mas, em não existindo um Padre, como confessar-se? E como ficam os homens no Antigo Testamento?

terça-feira, 30 de novembro de 2010

A CELEBRAÇÃO DO ADVENTO


No último domingo, 28, a Igreja celebrou o primeiro domingo do Advento, iniciando desta forma mais um Ano Liturgico. O Tempo do Advento é composto de 4 semanas que antecedem o Natal e termina no dia 24 de dezembro. Não é um tempo de festas, mas de alegria moderada e de preparação para receber Jesus, ou seja, tempo de preparar os corações para melhor penetrar nos mistérios do Natal.

No livro O ANO LITÚRGICO História, Teologia e Celebração - Anámnesis 5, vários autores, ©Paulinas 1991 , encontramos uma citação do calendário romano, nº 39 explicando que "O tempo do Advento tem uma dupla característica: é tempo de preparação para a solenidade do Natal, em que se recorda a primeira vinda do Filho de Deus entre os homens e simultaneamente é o tempo no qual, através desta recordação, o espírito é conduzido à espera da segunda vinda de Cristo no final dos tempos".

Estas caracterisiticas do Advento está presente nas leituras biblicas. No primeiro domingo ela nos orienta para parusia final, as leituras do segundo e o terceiro chamam a atenção para a vinda cotidiana do Senhor; e no quarto domingo prepara-nos para a nascimento de Cristo ao mesmo tempo fazendo dela a teologia e a história.

Toda a liturgia do Advento é apelo para se viver alguns comportamentos essenciais do cristão: a expectativa vigilante e alegre, a esperança, a conversão, a pobreza.

SACRAMENTOS: A EUCARISTIA


A Eucaristia é o alimento. Ninguém vive sem se alimentar. Para viver, dependemos não só da comida, mas também do pão da fraternidade, do carinho, da justiça. Nessa experiência de repartir o pão de cada dia, seja o pão de trigo, seja o pão da dor ou da alegria, Deus está presente. Celebrar a Eucaristia é também uma denúncia contra a falta de fraternidade que existe no mundo; porque na Eucaristia comemos do mesmo pão, quando na vida falta pão para tanta gente. Acreditamos e celebramos tudo isso na comunhão. A Eucaristia é Deus mesmo se repartindo como pão, na doação de Jesus.

A santa Eucaristia conclui a iniciação cristã. Os que foram elevados à dignidade do sacerdócio régio pelo Batismo e configurados mais profundamente a Cristo pela Confirmação, estes, por meio da Eucaristia, participam com toda a comunidade do próprio sacrifício do Senhor.

Na última ceia, na noite em que foi entregue, nosso Salvador institui o Sacrifício Eucarístico de seu Corpo e Sangue. Por ele, perpetua pelos séculos, até que volte, o sacrifício da cruz, confiando destarte à Igreja, sua dileta esposa, o memorial de sua morte e ressurreição: sacramento da piedade, sinal da unidade, vínculo da caridade, banquete pascal em que Cristo é recebido como alimento, o espírito é cumulado de graça e nos é dado o penhor da glória futura.

Muitos pensam que os Sacramentos são obras eclesiásticas, ou seja, criadas pela Igreja, mas isso não é verdade, todos os Sacramentos são sinais da graça de Deus que são expressos sem sombra de dúvidas na Palavra de Deus. Por exemplo: a presença de Jesus no Pão e no Vinho, é bem explicada nas Escrituras que relatam a última refeição de Cristo com os Apóstolos: A Santa Ceia.

Veja abaixo algumas palavras que Jesus disse aos seus apóstolos:

"Durante a refeição, Jesus tomou o pão e, depois de o benzer, partiu-o e deu-lhe, dizendo: 'Tomai, isto é o meu corpo'. Em seguida, tomou o cálice em suas mãos, deu graças e o apresentou, e todos deles beberam. E disse-lhes: 'Isto é o meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança que será derramado por vós e por todos. Em verdade eu vos digo: já não bebereis do fruto da videira, até aquele dia em que o beberei de novo no Reino de Deus'" (Mc 14, 22-25)

Através das palavras de Cristo, podemos perceber a firmeza de suas palavras. Ele não disse que o Pão simbolizava a sua carne, mas é verdadeiramente a sua carne. Não disse também que o vinho representava o seu sangue, mas é verdadeiramente o seu sangue.

Jesus disse também: "Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede" (Jo 6, 35). Quem recebe o Cristo, com a convicção que realmente Jesus está presente na Hóstia Consagrada, tem a benção de estar sempre saciado de graças vindas Dele.

Quando comungamos, nos transformamos em verdadeiros Sacrários, por isso é importante deixar bem limpo o lugar em que Jesus vai habitar. É através da Confissão que limpamos o nosso ser, recebendo a absolvição de nossos pecados.

Podemos então concluir que a Eucaristia, que significa "Ação de Graças" é o alimento da alma. Através dele passamos a caminhar com mais força rumo à Salvação. O importante é comungar com a convicção que Jesus é o Sacramento da Eucaristia, que é um grande presente Dele à nós.

<<>

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

CAMPANHA PARA EVANGELIZAÇÃO 2010


Rio de Janeiro, 27 nov (RV) - “Em Cristo somos novas criaturas”. Este é o lema da Campanha para a Evangelização que começou no domingo de Cristo Rei em todas as dioceses no Brasil, numa iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB. Aprovada pela 35ª Assembléia Geral da CNBB em 1997, a Campanha tem como objetivo arrecadar fundos para a sustentação do trabalho de evangelização da Igreja no Brasil.

A Campanha da Evangelização é realizada entre o último domingo do ano litúrgico e o terceiro domingo do tempo do Advento, que neste ano cai no dia 12 de dezembro, quando teremos também a Coleta Nacional para a Evangelização. Nas celebrações deste tempo de espera do Senhor que veio, virá e vem, esta coleta será feita em todas as paróquias e comunidades eclesiais. A Campanha para a Evangelização, além de estar em perfeita harmonia com o espírito do tempo deste tempo, também tem a finalidade de angariar esses fundos que garantem a continuidade da obra evangelizadora em nosso país. Com o resultado da coleta nacional para a evangelização, não só realizamos a manutenção da CNBB nacional e regional, e contribuímos para a pastoral das nossas dioceses, como também financiamos projetos evangelizadores em todo o território nacional.

Com o tema “Encarnação e nova criação”, a Campanha traz um texto-base que aprofunda o lema “Em Cristo somos nova criatura”. O texto dá, também, orientações para a organização e animação da Campanha nas dioceses e paróquias.

Ao propor este tema e lema, que estão em sintonia com a Campanha da Fraternidade do próximo ano, a Campanha visa despertar nos fiéis a relação entre fé e vida, através da conscientização sobre a responsabilidade diante da vida no planeta como elemento essencial para a realização do trabalho evangelizador, a fim de que, pela palavra, pela ação e pela doação pessoal e material, todos contribuam de maneira mais efetiva para a ação evangelizadora da Igreja.

A Campanha para a Evangelização vai receber doações também por telefone. A CNBB contratou um serviço 0500, que receberá doações a partir de domingo, 21 de novembro, até o dia 12 de dezembro. Os doadores poderão ofertar R$5,00, R$10,00 ou R$15,00 reais discando, respectivamente, os números 0500-2512-005; 0500-2512-010 ou 0500-2512-015.

SACRAMENTOS 03 CONFIRMAÇÃO


A Crisma é a força de Deus. Nós só conseguimos viver porque Deus nos dá essa força. Essa força de Deus é o Espírito Santo agindo em nós. Na Igreja, a experiência de nossa vida é celebrada no sacramento da Crisma. A Crisma é o sacramento do cristão que está amadurecendo na fé.

Juntamente com o Batismo e a Eucaristia, o sacramento da Confirmação constitui o conjunto dos "sacramentos da iniciação cristã" cuja unidade deve ser salvaguardada. Por isso, é preciso explicar aos fiéis que a recepção deste sacramento é necessária à consumação da graça batismal. Com efeito, pelo sacramento da Confirmação "os fiéis" são vinculados mais perfeitamente à Igreja, enriquecidos de força especial do Espírito Santo, e assim mais estritamente obrigados à fé que, como verdadeiras testemunhas de Cristo, devem difundir e defender tanto por palavras como por obras.

Durante a primeira vinda de Cristo sobre a Terra, Ele prometeu aos seus apóstolos o Paráclito (advogado, defensor). Jesus também promete o Espírito Santo para nós, e nos é concedido através do Sacramento da Confirmação. A Crisma também é chamado Sacramento da Confirmação, pois através dele confirmamos o nosso Batismo que recebemos na maioria das vezes quando criança.

Confirmar o Batismo é muito importante, pois quando criança não temos a consciência do Sacramento, mais sim os nossos parentes mais próximos que resolveram levá-lo até a pia batismal. Já na Crisma, não são os seus parentes que escolhem se queres ou não receber o Crisma, mas sim você mesmo.

No sacramento da Crisma recebemos os dons do Espírito Santo: Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Piedade, Ciência e Temor de Deus. Eles são dons que nos aproximam de nossa vocação: a Santidade.

Quando recebemos o Espírito Santo e nos abrimos inteiramente à graça sacramental não agimos em nós, mas sim o próprio Deus nos usa de instrumento e agi em nós. Por isso podemos considerar o crismando uma pessoa com grandes responsabilidades. Veja: No Batismo recebemos o Espírito Santo e nos transformamos de criaturas de Deus para Filhos de Deus. Já na Crisma dizemos com consciência: Quero ser Filho de Deus e assumir a minha missão de evangelizar.

O mesmo Deus que os apóstolos receberam no dia de Pentecostes é o mesmo que recebemos no Sacramento da Crisma, por isso a mesma autoridade que eles tinham ao anunciar a Palavra de Deus é a mesma que possuímos. O dia em que nos crismamos é sem dúvida o dia de nosso Pentecostes. Onde o Espírito Santo nos é enviado para transformar e santificar.

As transformações do Espírito Santo são nitidamente vistas na Bíblia. Observe: Vamos dar o exemplo do apóstolo Pedro. Antes do dia de Pentecostes era um pescador de pouca instrução, medroso, incrédulo e infiel. Quando se passou o dia de Pentecostes, melhor dizendo, logo ao sair do cenáculo onde o Espírito Santo desceu sobre os apóstolos e Maria, ele realizou um discurso que prova o poder do Espírito Santo (At 2, 14-41). Podemos até duvidar se realmente era o mesmo Pedro pescador e incrédulo.

Foi a partir daí que a Igreja se firmou, ou seja, foi através do Papa São Pedro que a Igreja de Jesus Cristo surgiu. Vejamos: se somos também Igreja, é através do Sacramento da Crisma que firmamos em nós o "tijolo" eclesial que somos.

Luzia Santiago: Tire os olhos dos problemas!


“Perseverai na oração, mantendo-vos, por ela, vigilantes na ação de graças” (Col 4,2).

Muitas vezes, precisamos derramar lágrimas, mas, independentemente disso, não desperdicemos nenhuma dor; que todas elas se derramem no Coração Divino de Nosso Senhor. Exulte de gratidão e louvor, pois o Senhor conforta a sua vida e guia seu caminho. Em meio às tribulações, às grandes lutas que travamos, até mesmo no silêncio de nossa alma, Ele sempre manifesta Sua ternura e cuidado.

Quando, em nossa fraqueza, pensamos que o Senhor nos abandonou e se esqueceu de nós, é o momento de levantar a cabeça e confiar em Sua Palavra, pois Ele proverá todas as coisas para o nosso bem.

Não podemos firmar os olhos nas dificuldades e nos inúmeros problemas como se estivéssemos perdidos, sem ninguém para nos ajudar e amparar. Precisamos ficar atentos aos pequenos gestos de amor que o bom Deus realiza em nossa vida diariamente e aclamá-Lo com ação de graças.

Problemas sempre existirão, como o próprio Cristo afirmou, mas, se estivermos com os olhos no Senhor, veremos Seu socorro e amparo, independentemente da situação e dos resultados.

Deus jamais nos abandonará!

Jesus, eu confio em Vós!

FONTE: site da cnção nova

VOCÊ TEM VALOR



Aconteceu num retiro.
O pregador começou a palestra segurando uma nota de 100 reais.
Na sala, com 200 pessoas, ele perguntou: ”Quem quer esta nota de 100 reais?”
Todas as mãos se levantaram.
Ele disse: “Eu darei esta nota a um de vocês, mas, primeiro, deixem-me fazer isto!”
Então ele deixou a nota bem amassada.
E perguntou, outra vez: “Quem ainda quer esta nota?”
Todas as mãos continuaram erguidas.
“Bom – disse – e se eu fizer isto?”
E ele deixou a nota cair no chão e começou a pisá-la, a suja-la e esfregá-la. Depois pegou a nota, agora imunda e amassada, e perguntou: “E agora? Quem ainda quer esta nota?”
Todas as mãos permaneceram levantadas.
“Amigos – concluiu o pregador – vocês todos devem aprender esta lição: Não importa o que eu faça com este dinheiro, ele não perde o seu valor, ela ainda va-lerá 100 reais”.
Essa situação se dá também conosco. Muitas vezes, somos amassados, pisoteados e ficamos sujos por causa dos nossos pecados. E assim ficamos nos sentin-do desvalorizados, sem importância e humilhados por nossos pecados.
Porém, para DEUS não importa o que aconteceu, jamais perdemos o nosso valor. Quer estejamos sujos, quer estejamos limpos, quer amassados ou inteiros, nada disso altera a importância que temos aos olhos de DEUS. O valor de nossas vidas não é pelo que fazemos ou sabemos, mas pelo que SOMOS! E todos nós somos especiais para DEUS que é Pai de todos.
Toda vez que buscamos, realmente arrependidos o perdão de DEUS, no Sacramento da Confissão, Ele vai nos devolver aquele valor originário que nós tínhamos antes do pecado!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

FESTA DE N. S. DA CONCEIÇÃO EM OLHO D`ÀGUA DOS BORGES

TEMA: m Nossa Senhora: queremos viver a alegria de sermos discípulos Missionários para anunciar o Evangelho de Jesus Cristo.

ROGRAMAÇÃO RELIGIOSA:

29/11/2010 – Segunda-feira
NOITE DA PREFEITURA/COMUNIDADES RURAIS E APOSTOLADO DA ORAÇÃO
19:00 hs – Missa de abertura e hasteamento das bandeiras.
Tema: Viver e comunicar a vida nova em Cristo a nossos povos.
Pregador: Bispo Diocesano – Dom Mariano Manzana
Resp.: Prefeito/ Primeira Dama/ Vice-Prefeita/ Francisca Dias/ Lícia.

30/11/2010 – Terça-Feira
NOITE DA CAERN/CORREIOS/POLICIA MILITAR E PASTORAL DO TERÇO
19:00 hs – Missa
Tema: A missão dos discípulos a serviço da vida plena.
Pregador: Pe. Domingos
Resp.: Zé de Egidio/ Maria Antonia/ Sarg. Rondes/ Augusto/ Zé Aroldo

01/12/2010 – Quarta-Feira
NOITE DA SECRETARIA DE SAÚDE/ SEC. INFRA-ESTRUTURA E PASTORAL DA PESSOA IDOSA
19:00 hs - Novena
Tema: Devemos lutar pelo o bem estar das pessoas idosas.
Pregadora: Augusta(coord. da pastoral da pessoa idosa da dioc. de Mossoró.
Resp. Jadete/ Dilberto/ Raquel/ Fátima/ Ana

02/12/2010 – Quinta-feira
NOITE DOS SINDICATOS RURAIS/ COMERCIANTES/ PASTORAL DA CRIANÇA
19:00 HS
Tema: A comunhão dos Discípulos Missionários na Igreja.
Pregador: Pe. Marcondes
Resp.: Aurinete/ Janitaria/Adriana/Lânia Sales/Maria Helena Araújo/Iraci

03/12/2010 – Sexta – Feira
NOITE DAS SECRETARIAS: ASSISTÊNCIA SOCIAL E EDUCAÇÃO E PASTORAL DO DÍZIMO
19:00 hs – Novena
Tema: Dizimo: Gesto de gratidão a Deus
Pregador: Nelinho – Obra de Maria
Resp.: Laedna/ Maria Alexandre/ Toinha Leite/ Mazinha/ Ritinha Barros/ Neta Barros

04/12/2010 – Sábado
NOITE DOS MOTOCICLISTAS/FILHOS AUSENTES/ SEVRETARIA DA AGRICULTUTA E LEGIÃO DE MARIA
19:00 hs – Novena
Tema: Reino de Deus, justiça social e caridade Cristã
Pregador: Tibério.
Resp.: Quinquinho/ Fifia/ Toinho de Sales/ Sissi/ Tetê/ Rita Leite

05/12/2010 – Domingo
NOITE DAS FAMÍLIAS/ CÂMARA MUNICIPAL
19:00 hs – Missa
Tema: Família: Célula mãe da sociedade.
Pe. João
Resp.: Lubes/ Zé/ Ester/ Bergue/ José Sérgio/ Rosalba de Altemar.

06/12/2010 – Segunda – Feira
NOITE DA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO/JUVENTUDE / COROINHAS/ CATEQUESE E GRUPOS MÃE RAINHA
19:00 hs – Missa
Tema: A juventude e a valorização da vida.
Pregador: pe. Gerônimo
Resp.: Jailma/ Ueldo/ Ronny Kliver/ Ivanildo/ Marcos/ Kelyanne/ Loudes/Nazinha/ Salete e Nenzinha

07/12/2010 – Terça-Feira
NOITE DOS MOTORISTAS / EQUIPE DE LITURGIA
19:00 hs – Missa
Tema: Com Nossa Senhora: queremos nos comprometer para promover e defender a vida.
Pregador: Pe. Possídio
Resp.: Didito/ Charles/ Edson/Neinha/Ercílio/Mazinha/Rita/Terezinha do Carmo/ Maria Helena Leite / Altemar de Rosalba.

08/12/2010 – Quarta-Feira
ENCERRAMENTO
17:00 hs - Procissão de encerramento
18:00 hs – Missa Solene da festa e arreamento das bandeiras
Resp.: Todas as Pastorais.

EVENTOS SOCIAIS
29/11 – Às 21:00 hs Na Praça da Igreja Show Da “A Mais Bela Voz” do pólo Regional. Resp.: Dércio e Paulinho. Logo após festa dançante.
04/12 – Festa dançante
06/12 – sorteio
07/12 – Leilão

OBS.: Todas as noites funcionarão: barracas com bebidas e comidas, jantares Comunitários e Música ao vivo.

LITÚRGIA 03 PARTES DA MISSA- ABERTURA DA MISSA


ABERTURA DA CELEBRAÇÃO

Observando-se a Liturgia da Missa, vemos que ela inicia-se com o canto e a procissão de entrada. A seguir, o sacerdote dialoga com a comunidade, acolhendo-a em nome de Deus. Segue-se o ato penitencial, as aclamações e súplicas e a oração conclusiva.

Estes ritos têm por finalidade:

o Reunir os fiéis, possibilitando-lhes uma comunhão;
o Dispô-los a ouvir com proveito a Palavra de Deus;
o E a celebrar frutuosamente a Eucaristia.


O Canto De Entrada e "Sinal da Cruz"

O canto está a serviço do louvor de Deus e de nossa santificação. Quem canta, reza duas vezes. Não é apenas para embelezar a Missa, mas para nos ajudar a rezar. O canto de entrada deverá estar em plena sintonia com o momento litúrgico que se celebra. Ele tem a função de:

o favorecer a união dos fiéis;
o Criar um clima festivo;
o Introduzir o povo no mistério ou festa celebrados;
o Acompanhar a procissão de entrada do celebrante e ministros.

Durante o Canto de Entrada, o celebrante que preside a Missa, acompanhado dos Ministros ou Acólitos, dirige-se para o altar. Faz uma inclinação profunda e depois beija o altar. O beijo tem um endereço: não é propriamente para o mármore ou a madeira do altar, mas para o Cristo, que é o centro de nossa piedade. A procissão de entrada deve ser solene, passando pelo meio do povo, especialmente nos dias festivos. Neste momento o Presidente faz o sinal da cruz e toda a Assembléia o acompanha, dizendo ao final, Amém. A expressão "Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo", tem um sentido bíblico: não quer dizer apenas o "nome", como para nós, ocidentais. "Nome", em sentido bíblico, quer dizer a própria pessoa. Isto significa dizer que iniciamos a Missa colocando a nossa vida e toda a ação nas mãos da Santíssima Trindade.


O diálogo do Celebrante com o povo

Estabelece uma comunicação inicial, criando a comunhão. Pela saudação, o celebrante significa à Assembléia a presença do Senhor no meio do seu povo. A resposta é o reconhecimento desta presença. O diálogo simboliza o mistério da Igreja reunida e vem atualizar o encontro de Cristo com o seu povo.
Preparação Penitencial

Os fiéis, unidos pelos cantos e diálogos, conscientes de sua reunião em Cristo e de sua presença na assembléia confessam que são pecadores se reconciliam entre si e com Deus.

Após um momento de silêncio, usa-se uma das seguintes fórmulas:
I Formula

TODOS: Confesso a Deus todo-poderoso / e a vós, irmãos, / que pequei muitas vezes / por pensamentos e palavras, / atos e omissões, / (e, batendo no peito, dizem) por minha culpa, minha tão grande culpa. / E peço à Virgem Maria, / aos anjos e santos / e a vós, irmãos, / que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.

II Formula

CEL: Senhor, que viestes salvar os corações arrempendidos, tende piedade de nós.

ASS: Senhor, tende piedade de nós.

CEL: Cristo, que viestes chamar os pecadores, tende piedade de nós.

ASS: Cristo, tende piedade de nós.

CEL: Senhor, que intercedeis por nós junto do Pai, tende piedade de nós.

ASS: Senhor, tende piedade de nós.

CEL: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.
ASS: Amém!


Canto do Glória

É o hino pelo qual a Igreja louva, agradece e suplica ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo

O Glória pode também ser recitado, como segue:

CEL: Glória a Deus nas alturas
ASS: e paz na terra aos homens por ele amados. / Senhor Deus, rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: / nós vos louvamos, / nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, / nós vos glorificamos, / nós vos damos graças / por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, / acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, / tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, / só vós, o Senhor, / só vós, o Altíssimo, / Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, / na glória de Deus Pai, / Amém

O Canto do Glória é um hino antiquíssimo e venerável, pelo qual a Igreja, congregada no Espírito Santo, glorifica e suplica a Deus Pai e ao Cordeiro, é cantado pela Assembléia dos fiéis ou pelo povo que o alterna com o grupo de cantores ou pelo próprio grupo de cantores. Se não for cantado, dever ser recitado por todos, juntos ou alternadamente.

O Canto do Glória é cantado ou recitado aos domingos, exceto no tempo do Advento e da Quaresma, nas solenidades e festas e ainda em celebrações especiais mais solenes


Oração do dia (coleta)

O celebrante, em nome de toda a Igreja reunida, se dirige a Deus, por intermédio de Jesus Cristo. Há sempre uma oração do dia para cada momento litúrgico, conforme estabelece o Missal Romano, cuja versão para a língua portuguêsa, para o Brasil, foi aprovada pela Comisssão Episcopal de Textos Litúrgicos (CETEL), da CNBB, em uso desde 25/09/91. A oração da coleta exprime a índole da celebração e dirige, pelas palavras do celebrante, uma súplica a Deus Pai, por Cristo, no Espírito Santo.

Aqui todos os fiéis oram, em silêncio, por algum tempo. No fim da oração a Assembléia aclama com um Amém. Em seguida todos sentam-se para ouvir com atenção a Liturgia da Palavra.


FONTE: http://www.mundocatolico.org.br/missal.htm

Visitantes

Contador de acesso